Presidente da Ebserh participa de inauguração do Parque de Diagnóstico do HUJBB

O presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), Kleber Morais, participou em Belém nesta sexta-feira, 27, da inauguração do novo Parque de Diagnóstico por Imagem do Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB), do Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (UFPA)/ Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). A partir de recursos do governo federal, o espaço agora funciona com cinco serviços para atender a população em diversas modalidades de exames, que correspondem aos de raios X, tomografia computadorizada, mamografia digital, hemodinâmica e ressonância magnética.

“Esse é um dia muito especial para todos nós, é mais um passo que o nosso Complexo dá para consolidar-se enquanto estrutura hospitalar da Rede Ebserh. Os serviços já estão sendo oferecidos pelo SUS e na próxima contratualização estarão presentes, aumentando as possibilidades de arrecadação”, afirmou o superintendente do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh, o médico e sociólogo Paulo Amorim.

Por motivo de ajustes a hemodinâmica ainda não está em funcionamento, mas a expectativa é que até o final deste ano esteja em plena atividade. Para isso, o presidente da Ebserh, Kléber Morais, garantiu que o HUJBB receberá total apoio para o equipamento funcionar o quanto antes. Ele enfatizou que “o Barros Barreto tem um futuro brilhante e suas necessidades estão sendo supridas pela Rede. Então, vamos liberar o mais rápido possível os recursos para que a hemodinâmica esteja dentro dos padrões que devem ser feitos”.

Investimento- Os recursos financeiros investidos somente em equipamentos estão orçados no valor de mais de R$ 5 milhões. A ressonância magnética tem capacidade para realização de mais de 30 exames por dia, dentre eles, encéfalo, coluna, abdome, pélvica, próstata, coração e angiografias. "Com a entrada dessa ressonância magnética, a Unidade de Diagnóstico por Imagem (UDI) do Barros Barreto preenche uma lacuna de grande importância à população do Pará, que atualmente conta com poucas instituições hospitalares para realizar, gratuitamente, esses exames de alta complexidade", enfatiza o chefe da UDI, Valtenis Melo.

Outro destaque é o aparelho de Raios X, telecomandado com sistema de televisão e de captação de imagem digital, permitindo melhor visualização e precisão no diagnóstico. Quanto ao serviço de mamografia, o equipamento é totalmente digital, com workstation operacional e workstation para laudos, o que permite maior precisão dos resultados dos exames, como as microcalcificações.

Valtenis informa que a tomografia computadorizada é Multslice de 64 canais, o que permite aquisição de imagem de todo o corpo do paciente em menos de um minuto. “Esse é um grande avanço para o médico observar as diversas patologias do corpo e administrar junto ao paciente um tratamento eficaz”, ressalta.

Para o vice-reitor da UFPA, Gilmar Pereira, “inaugurar uma estrutura dessa magnitude é muito importante porque permitirá aos nossos profissionais melhores possibilidades para a realização dos diagnósticos e assim atenderem cada vez melhor os nossos pacientes”.

O reitor da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Sylvio Puga Ferreira, que acompanhou o evento no HUJBB, destacou a importância dos hospitais da Amazônia trabalharem em rede para oferecer melhores serviços à população, pois “a Amazônia é uma área com muitas particularidades e na saúde não é diferente, por conta das dificuldades de acesso da população aos centros urbanos”.  

Sobre a Ebserh -foi criada pela Lei 12.550, de dezembro de 2011, e integra um conjunto de medidas adotadas pelo Governo Federal para a recuperação dos hospitais vinculados às instituições federais de ensino superior. Desde então, por meio do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf) são realizadas ações no sentido de garantir a recuperação física e tecnológica e também de atuar na reestruturação do quadro de recursos humanos das unidades. Atualmente, dos 50 HU's do país, a empresa é responsável pela administração de 40 deles.

A UFPA assinou contrato de adesão com a Ebserh em outubro de 2015, levando o Complexo Hospitalar Universitário a ficar sob a gestão da empresa. Com isso, os hospitais Bettina Ferro e João de Barros Barreto recebem aporte financeiro para o seu funcionamento. A parceria com a universidade visa aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades.
 

Texto: Edna Nunes e Paola Caracciolo – Ascom do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh.

Fotos: Edna Nunes – Ascom  do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh.