Barros Barreto e Bettina Ferro acolhem novos alunos do 30º Proaps

Apresentação dos gestores, regimento do Proaps, notificação de eventos, fluxo de pacientes e biossegurança. Essas e outras atividades tomaram conta da Semana de Acolhimento do 30º Programa de Aperfeiçoamento para Profissionais da Saúde (Proaps), encerrada na última segunda-feira. A programação, iniciada na segunda-feira, 04, foi o primeiro contato dos aperfeiçoandos com a rotina das unidades João de Barros Barreto (UJBB) e Bettina Ferro de Souza (UBFS), do Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (UFPA)/ Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).
 
Repasse de informações sobre o curso e a rotina das instituições hospitalares ocorreram no Centro de Estudos da Unidade Hospitalar João de Barros Barreto (UJBB), com representantes das chefias dos setores e unidades do Complexo. Palestras sobre o regimento do curso, a estrutura física e organizacional das unidades, assim como fluxo de pacientes, prontuário médico, biossegurança na área da saúde e protocolo de profilaxia de infecção ocupacional foram assuntos de pauta constantes.
 
A técnica de enfermagem e caloura do 30o Proaps, Justina Souza Silva, disse que ao participar da orientação estava "ansiosa para começar atuar no setor da pediatria". Por sua vez, a técnica em radiologia, Kleice Silva, revelou fazer "o possível para aproveitar todo conhecimento que adquirir, na busca de conquistar o seu primeiro emprego". Ela comentou ainda que as palestras foram úteis e esclarecedoras, principalmente para ela que, até então, não tinha contato direto com o hospital. "Eu não conhecia o Barros Barreto e só tive vivencia de hospital no estágio do curso, então esse acolhimento foi fundamental para termos esse primeiro contato", enfatizou.
 
Na agenda do acolhimento dos novos alunos do Proaps constou o tradicional Hospitour na UJBB, que consta na visitação deles em todas as dependências do prédio hospitalar para conhecer o seu funcionamento e o contato direto com os funcinários.
 
Paradígmas – Entre os palestrantes, estava a chefe da Unidade de Vigilância e Saúde, Silvia Barros, que tratou sobre o tema "A Política Nacional de Segurança do Paciente". Segundo ela, a finalidade foi orientá-los sobre como fazer as notificações de eventos adversos durante as atividades práticas dos profissionais na instituição, "para termos um diagnóstico no hospital, sobretudo, descobrindo como eles ocorrem e de que forma podem ser criadas barreiras para evitá-los".
 
Para a coordenadora do Programa e enfermeira, Gilka Alves, a iniciativa rompe paradigmas. "Além de repassar as orientações prévias de como trabalhar no hospital Barros Barreto e Bettina Ferro, esse é o momento de quebrar o medo que todos têm relacionado aos problemas de saúde da nossa clientela, principalmente das doenças infectocontagiosas", comentou. Disse ainda que a expectativa para esse Proaps "é muito positiva", por ser o primeiro ano que o programa ocorre enquanto Complexo Hospitalar, porque até então era realizado apenas no Barros Barreto e não no Bettina Ferro. "
 
A capacitação é direcionada aos profissionais de saúde que já atuam no mercado, assim como aos recém-formados e possuem nível médio: auxiliar de saúde bucal, técnicos em laboratório, técnicos em radiologia e técnico em enfermagem. Para o superior, foram destinadas vagas aos: assistentes sociais, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, médicos, nutricionistas e psicólogos.
 
 
Texto e foto: Silvia Giese – Bolsista da Ascom do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh.