Gestão em busca da sustentabilidade do Complexo Hospitalar em foco no II Congresso

A gestão administrativa e financeira no Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh esteve nos holofotes do II Congresso do Complexo. A busca de informações sobre o modelo gerencial da Ebserh, o financiamento dos hospitais universitários Bettina Ferro de Souza (HUBFS) e João de Barros Barreto (HUJBB) e as perspectivas de sustentabilidade, proferidas pelo supervisor regional da empresa pública, Laurimberg Diniz, atraiu um público expressivo no evento, realizado nas últimas quinta-feira, 13, e sexta-feira, 14. Foram quatro horas de conhecimento sobre gestão hospitalar que funcionários dos próprios HUs, estudantes e profissionais de outras instituições de saúde e de ensino receberam sobre a temática, coordenada pela gerente de Atenção à Saúde, Ivana Souza, e que teve como moderador o professor da Universidade Federal do Espírito Santo, Maroun Padilha.
 
Laurimberg afirmou que é possível os hospitais públicos chegarem a um grau de qualidade de excelência. "Quando a gente fala em hospital público a ideia é algo arquétipo, com a infraestrutura derrubada ou que tem dívidas que estão se sobrepondo a todas as outras ações. Mas, na realidade, o que se propõe hoje - existem estudos em andamento prático – é que se existir uma boa gestão, capacitando pessoas, lotadas nos lugares certos e associando a isso uma série de ferramentas, como sistema, estrutura, arquitetura, modelos que se agregam na atenção à saúde, gera um conjunto de instrumentos capaz de dar autonomia para o hospital conseguir alcançar um patamar desejável", enfatizou.
 
Selo - Segundo ele, atualmente a empresa trabalha na confecção de um selo Ebserh para certificar os seus hospitais que conseguirem alcançar o nível de maturidade de boas práticas de gestão. O supervisor da empresa informou à plateia que dos 40 que seguem o modelo de gestão da empresa pública, seis têm conseguido chegar ao nível de sustentabilidade econômico-financeiro, mantendo e aumentando a qualidade do serviço e mantendo a sua performance gerencial.
 
Quanto ao Congresso do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh, comentou "ser um modelo inspirador para os demais hospitais da rede Ebserh, sobretudo, por não ser uma prática adotada pelas demais unidades esse tipo de evento científico, com apresentação de trabalhos acadêmicos comuns dentro dos hospitais". Ele observou que gestão hospitalar não são todas as universidades que trabalham esse tema em sua grade curricular, "de modo que o Pará no seu II Congresso está puxando todos os hospitais a irem no mesmo caminho, o que é importante por causa da troca de experiência, como pela valorização da academia", concluiu.
 
Quem aprovou foi o administrador de empresa Jorge Soares, pós-graduando em gestão hospitalar em uma instituição de ensino particular de Belém. Ele comentou que pelo motivo de ser debatido a gestão dos hospitais públicos em sala de aula, decidiu participar do congresso para estar mais próximo de quem faz parte desse universo. "Nós alunos de gestão hospitalar se não estivermos inseridos nos hospitais, só tomamos conhecimento dessa prática em eventos voltados para essa área. Então, isso foi o que me motivou estar aqui, aprender mais com quem está no dia a dia dessa rotina. Em menos de dois dias aprendi muito e espero até o final aprender ainda mais", disse.
 
 
Texto e fotos: Edna Nunes – Ascom Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh.