Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh participa de ação médico-humanitária na Venezuela

Diante do número crescente de entrada de imigrantes venezuelanos no país e a fim de apoiar as ações que visam minimizar o impacto gerado nos serviços públicos do estado de Roraima, a Rede Ebserh – Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, estatal vinculada ao Ministério da Educação (MEC), realiza de 27 de agosto a 1 de setembro, uma ação médico-humanitária na capital Boa Vista e na cidade de Pacairama, que faz fronteira com o vizinho sul-americano. A abertura da ação ocorreu no auditório do MEC neste sábado, 25, com a presença do presidente da República, Michel Temer, com o ministro da Educação, Rossieli Soares, com o presidente da Rede Ebserh, Kleber Morais, além de outras autoridades.
 
O Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (UFPA)/Ebserh enviou como voluntários o clínico geral Antônio Rocha, chefe da Divisão de Apoio Diagnóstico e Terapêutico do Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB) e ex-diretor da instituição hospitalar, e o oftalmologista Oswaldo Frazão, membro da equipe de Transplante de Córnea do Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza (HUBFS), vice-supervisor e preceptor da residência médica em Oftalmologia do Complexo. Os dois médicos irão atuar junto aos demais profissionais na prestação de serviços para a população durante o período da ação solidária.
 
Dirigindo-se ao grupo de voluntários, o presidente da República agradeceu a participação da equipe e fez um apelo aos demais estados brasileiros. "Eu quero aproveitar para mais uma vez dignificar o gesto dos senhores e das senhoras e pedir que isto sirva de exemplo para outros estados e outras regiões no sentido de termos cada vez mais voluntários para esta tarefa, em Roraima. Aliás, ainda há outros que irão para esta atividade. Isto é integração da sociedade com o poder público", afirmou.
 
No total, 36 profissionais de saúde dos hospitais universitários federais vinculados à Rede Ebserh se voluntariaram para oferecer atendimento nas especialidades de Ginecologia, Obstetrícia, Pediatria, Infectologia, Oftalmologia. Serão médicos, enfermeiros e técnicos de Laboratório atuando com o apoio do comando da Operação Acolhida, que é coordenada pela Casa Civil da Presidência da República e envolve os ministérios da Defesa, Saúde, Desenvolvimento Social, Trabalho e Emprego, Forças Armadas, Organização das Nações Unidas (ONU), além da Polícia Federal e do MEC.
 
O ministro da Educação, Rossieli Soares, destacou a iniciativa como determinante para diminuir os efeitos provocados pela chegada dos imigrantes e reforçou a disposição do povo brasileiro em ajudar a todos que solicitam o apoio do país e enxergam no Brasil a possibilidade de recomeçar a vida e ter um futuro com mais dignidade. "Eu acho que isso salienta, mais uma vez, o espírito do povo brasileiro. Com um breve chamado e sem esforço nenhum, nós tivemos uma série de pessoas que estão doando o seu tempo para apoiar outras que estão necessitando de ajuda", ressaltou.
 
Em Boa Vista, as ações serão voltadas aos venezuelanos que ocupam os abrigos na cidade, e em Pacaraima, haverá vacinação para os imigrantes. São previstas ações educacionais preventivas em saúde, exames, testes para Hepatites B, C, HIV e VDRL, glicemia, verificação de pressão arterial, citologia de colo de útero, orientação sobre escovação dentária, prevenção e orientação sobre parasitoses intestinais, orientações sobre nutrição, consultas e orientações da oftalmologia, orientações para gestantes e amamentação, dentre outros procedimentos. Os insumos e materiais a serem utilizados para a ação foram disponibilizados pelos hospitais universitários federais da Rede Ebserh e Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS-MS).
 
Para o presidente da Rede Ebserh, Kleber Morais, a atuação dos hospitais universitários vai além do ensino, da pesquisa, da extensão e da assistência à saúde, o que se prova com a ação humanitária em Roraima. "Temos pessoas diferenciadas aqui, profissionais humanizados que pensam no outro, que vieram voluntariamente para atenderem pessoas que necessitam do nosso cuidado", salientou.
 
Esse é o caso de Ana Izaura dos Santos, que atua há quatro anos como enfermeira obstetra no Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados, em Mato Grosso do Sul. "Essa ação da Ebserh é uma oportunidade única de ajudarmos o próximo e mostrar o nosso serviço. Espero que a gente consiga dar um atendimento de qualidade àquela população que está muito necessitada, precisando de nós", afirmou a voluntária.
 
Sobre a Ebserh
 
Estatal vinculada ao Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) atua na gestão de hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.
 
A empresa, criada em dezembro de 2011, administra atualmente 40 hospitais e é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.
 
Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social da Ebserh, com informações da Assessoria de Comunicação do Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh