Pacientes da Uasca do HUJBB participam da comemoração da Páscoa

A Unidade de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente (Uasca) do Hospital João de Barros Barreto, do Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (UFPA)/ Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), teve uma manhã animada nesta segunda-feira, 2, com a comemoração da Páscoa. Pacientes e seus acompanhantes foram surpreendidos com a entrega de brindes e oferta de lanches doados pela equipe de profissionais da Uasca, sob a animação de integrantes do grupo de animadores "Mais Amor". O evento foi abençoado pelo pastor Célio Sérgio Machado, da Missão Cristã Elim.

"É uma comemoração simbólica que oferecemos aos nossos pacientes para lembrarmos o sentido da Páscoa, que é um momento de renovação, esperança e fé", enfatizou a psicóloga Rita Duarte. Segundo ela, na Uasca a celebração da Páscoa é tradicional, uma forma de acalentar os pacientes e familiares que, mesmo hospitalizados, é possível vivenciar a ressurreição de Cristo.

A animação da Páscoa foi com a trupe "Mais Amor", formado por cerca de 30 voluntários de várias comunidades cristãs, do Catolicismo ao Protestantismo. Segundo a voluntária Keila Benchimol, conhecida como "Kiki", o grupo começou em dezembro de 2016 no Hospital Ofir Loyola, "com o propósito de oferecer amor, alegria e compaixão para as crianças e adultos internados no hospital". Mas, ela conta de desde então a ação tomou uma dimensão inesperada e que "nos deu de presente esse projeto, que, oficialmente, conta hoje dois anos de atividades".

Quem agradece são os acompanhantes dos pacientes, como a dona de casa Silvane Rosa dos Santos, mãe de Gabriel, de Gabriel, de 1,8 meses. O menino está há cinco dias internado e deve receber alta na próxima semana. "É muito boa essa iniciativa dos profissionais da unidade, porque, por exemplo, o meu filho gosta de sair e brincar muito, então esse momento é uma forma dele resgatar isso enquanto está no hospital". Para ela, as atividades que fizerem no hospital envolvendo os pacientes passam a ser sinônimo de recuperação para eles e distração aos acompanhantes.
 

Texto e foto: Edna Nunes – Ascom Complexo Hospitalar da UFPA/Ebserh.